domingo, 11 de setembro de 2016

una

fez, na passada sexta-feira, um ano de que a una, uma das autoras mais antigas deste blogue e uma boa amiga, partiu.
ficará sempre guardada no mais fundo dos nossos corações, pelas palavras, pelos sorrisos, pelas recordações.

por tudo, una, muito obrigado.




se, no silêncio, te tentasse recriar,
como se houvesse ainda um gesto teu,
como uma onda que rebenta e volta ao mar,
como um livro que ainda não se leu...

se, no silêncio, te pudesse encontrar,
como uma brisa de que a morte se esqueceu,
como se a noite fosse apenas o lugar
onde o teu corpo, cansado, se abateu.

talvez ainda te pudesse ver sorrir,
nesse teu sorriso aberto e cristalino.
como uma porta com receio de se abrir,

ficam as letras que juntaste em desatino;
e, para aqueles que a quiserem ouvir,
haverá sempre a música do teu violino.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

amanhã a festa é outra

Como é que dizes a alguém que não te quer que não sabes como não querer? Como é que lhe dizes que vais esperar e não sabes como não contar todos os segundos que faltam, mesmo quando não sabes ao certo quanto tempo falta? Como é que te preparas para apagar tudo aquilo que fizeste questão de ir deixando entrar? Como lhe explicas que demoraste mas que finalmente lá chegaste? mas já não está lá ninguém à tua espera, sabes que mais? o comboio já partiu, e anda em sentido contrário ao teu, tu queres mais, mas já não há lá nada para ti. E eu sei que dói, mas não queiras meios amores, não queiras metade da atenção, se queres muito, pelo menos quer por inteiro, quer que te queiram com tudo, ou no mínimo, tanto quanto tu. O barco tem dois remos, mas têm que se mover ao mesmo tempo ou então não sais do lugar, por isso, pega nos dois remos e começa a remar, mas para o teu lado. Amores sozinhos não valem a pena, têm prazo de validade, e mais curto do que tu pensas. Não te vou mentir, dói mudar de direcção, mas dói tão mais acordar no lado errado da cama.
Tenho que te dizer que ele não gosta de ti, ou então não sabe gostar. Devias ter-lhe ensinado que as coisas não se dizem da boca para fora, do outro lado está uma pessoa que tem sonhos, que tem planos, que tem um coração à espera de ser amado da forma certa. Mais uma vez, tenho que te dizer que não vale a pena, por isso princesa, tu sabes como se faz, já não é a primeira vez, levanta a cabeça, sorriso no rosto, e amanhã a festa é outra.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Néaltrú # 10

" Pergunto-me várias vezes o que vi em ti, de onde veio este sentimento que tanto me assolou, e o porquê de eu não conseguir tirar o teu sorriso da minha cabeça…Desde sempre vi que tu eras tudo o que de errado existe, tudo o que eu não gosto em alguém para ter do meu lado, tens tudo aquilo que eu não quero para mim, no entanto, tens a capacidade de fazer com que todo esse errado pareça certo, porque é em ti, porque és tu, porque em ti tudo faz sentido e não o faria de outra maneira, não valeria a pena se não fosses exatamente da maneira que és, porque nada valeria a pena se tu não fosses tu, e é cada um desses defeitos e dessas linhas de caráter que fazem de ti a pessoa que és, que fazem de ti aquela pessoa única.
Não sei o que vi em ti, sei que o que me cativou em ti foi o teu sorriso e o teu olhar, a tua inocência e carência, a tua vulnerabilidade e sensatez, tudo aquilo que se sente num só abraço, num só olhar, porque o teu olhar é o mais meigo, inocente e incrível de todos, o teu abraço é de uma carência que dá vontade de não te largar nunca, que dá vontade de te ter para sempre nos meus braços…
Sei o que me cativou, porém não sei o que me prendeu, principalmente sendo tu tudo aquilo que eu não quero para mim, o que te fez ficar?
Tu não tens rigorosamente nada do que eu procuro, nada… No entanto és tudo aquilo que eu quero para mim… "