quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Somente somente somente
nós.
Somente nós e nada mais para além disso, e tudo o que é nosso, tudo o que nosso será e nosso se tornará e nós somos, somos nós, somos somente nós e ainda assim somos todo o Mundo.
Somente, somente nós e dói e custa e assusta reduzirmo-nos a nós e nada mais para além disso, mas ainda assim conservamos em nós tudo o que é possível conservar num ser humano, neste espaço exíguo, nesta coluna apertada de oxigénio e de dor nesta cabeça apertada e apartada da comum realidade.
Olá? Está aí alguém?
Somente, somente, somente nós.

Carta de amor I por Leonor Neto

3 comentários:

deixa tu também letras soltas no caminho