sexta-feira, 14 de outubro de 2011


Sabes quando o mundo lá fora e o mundo dentro de ti se dessincronizam e tu sentes que, apesar de lá fora todos sorrirem debaixo de um dia lindo de sol, dentro de ti rebentam nuvens grávidas de água, inundando tudo à tua volta? Nesse momento escuta a chuva. Ela pede-te que mudes de roupa, de casa e de vida. Vai à rua, corre atrás dos carros, mergulha numa fonte no meio da cidade, fala com estranhos, perde-te por ruelas estreitas, tira fotos a coisas estranhas, apanha um autocarro para um sítio desconhecido e perde-te por lá. Dessa maneira garanto que te vais encontrar, mesmo que estejas perdido.

Afonso Costa

6 comentários:

  1. sem dúvida que dessa maneira te vais desprender não da vida mas das coisas que já não importam mas que ainda assim tens medo de deixar ir.

    é daquelas coisas que devia ser obrigatório fazer pelo menos uma vez por semana só para não nos esquecermos do que é ser pessoa.

    AMEI!^^

    ResponderEliminar
  2. Adorei, as vezes todos precisamos de mudar

    ResponderEliminar
  3. É a ler textos assim que perco a coragem para escrever.
    Adorei o texto, sinceramente :)

    ResponderEliminar

deixa tu também letras soltas no caminho