quinta-feira, 8 de março de 2012

Encontrei nos rascunhos os poemas que me fizeram descobrir a escrita. Bom, talvez seja mais correto dizer que foi quando me apercebi do quanto gostava dela depois de me deixar envolver por palavras. Fi-los para um concurso e ainda me lembro dos comentários que lhe foram feitos. Aqui os deixo.

As rosas negras
Crepitam na minha lareira
Por as queimar
Desaparecerá o negro que me rodeia?

Se furar um balão
De ar recheado
Furarei o meu coração
De vidro pintado?

Alma é aquela
Que ajuda os outros
Mente é aquela
Que se ajuda a si
Corpo é aquele
Que suporta a luta
Entre as duas
Num só.

O que o coração quer
A mente contraria
Todos têm medo de morrer
E medo de aproveitar a vida
Mas enfrentando apenas um medo
Os outros vão em seguida.

5 comentários:

  1. está mesmo bonito! ganhaste o concurso? :o

    ResponderEliminar
  2. bem bonito mesmo esse poema, você escreve muito bem. Sabe usar as palavras certas

    Bjs
    http://maviealeatoire.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. adoro :D principalmente a última estrofe e a segunda!

    ResponderEliminar

deixa tu também letras soltas no caminho