sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

gosto de mim e dos meus (o resto nem sei bem o que é - e se calhar nem quero saber)

Há já algum tempo que não faço sentido, que não sei muito bem o que ando pr'aqui a fazer. O amor é uma coisinha estranha que toda a gente procura mas ninguém sabe bem o que é. A meu ver, assemelha-se um pouco com andar à caça de gambuzinos. E isto fruto de umas convenções quaisquer, criadas por sabe-se lá quem que achou que precisávamos de um propósito maior. Amar? Amem os tolos (e que tola sou eu). E tudo isto passa para segundo plano quando, à noitinha, temos dois ou três camaradas e uma guitarra de ilusões, num chão de pedra fria.

7 comentários:

deixa tu também letras soltas no caminho