domingo, 19 de junho de 2011

senhor manel.

Tu és tu sempre
Que tu és
És mesmo tu
Quando pensas que és outra coisa
Tu pensas que não
Mas tu és mesmo bom
A ser sempre quem és
Daí o teu motivo ser inapagável
Daí o teu desejo ser incontornável
O prazer é tao maliável
Daí o seu valor ser inestimável

5 comentários:

deixa tu também letras soltas no caminho