sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

dá-me a tua mão

Dá-me a tua mão, eu ajudo-te!

Não, deixa-me em paz, eu sei levantar-me sozinha!

Não aprendas a cuidar de ti mesma, viver sozinha é como uma droga pesada: cada vez são maiores as doses necessárias para manter o vício e vais acabar por afastar todos os que te amam.

Mas todos eles acabam por me deitar ao chão!

Se fores tu a cuidar de ti mesma, escavarás no chão a própria sepultura.




A única coisa mais fatal que a dependência aos outros é a sua total independência.

11 comentários:

  1. Adorei...
    Curiosamente, parece-me que quase vem como resposta à minha recente publicação no meu blog pessoal (e ao meu constante tormento).

    :)*

    ResponderEliminar
  2. Precisamos de pessoas à nossa volta. Precisamos de lhes dar um bocadinho de nós. Mas é dificil, tão dificil!
    Está muito bom, como sempre :)

    ResponderEliminar
  3. 3 letras: UAU!
    E com isto a pergunta resta: afinal precisamos ou nao dos outros?

    ResponderEliminar
  4. Há dias em que sim. Há dias em que não.
    É bom termos alguém ao nosso lado.. uma mão amiga sabe sempre bem. Contudo, se deixares que a tua vida e a tua felicidade dependa dos outros, nunca te deixarás ser livre.
    Eu costumo dizer que a única amiga que me acompanha e acompanhará toda a vida é a minha sombra.
    Tira daí o que quiseres ;)

    ResponderEliminar
  5. PR'', nada do que realmente é bom e importante é fácil!

    ana, a resposta é sim, precisamos dos outros. se não dependermos dos outros não vamos ter tantas desilusões de vez em quando. mas só não as vamos ter porque não temos quem nos possa desiludir. e pior do que a dor, é não ter por quem sentir dor!

    rita (parte dela), na verdade, imediatamente a seguir à minha experiência pessoal (que já fui das duas maneiras), a tua experiência é o que me mostra que o que digo é verdade! Não podes dizer que não é quando sabes tão bem como eu que nunca experimentaste o outro lado.

    sparking mind, não podemos deixar que a nossa felicidade dependa dos outros, mas muito menos podemos deixar que ela dependa de nós porque também não nos deixa livres isso.
    E, entre nós e outros, eles sempre são mais e há menos possibilidade de todos nos desiludirem ao mesmo tempo!

    ResponderEliminar
  6. nuno, meu querido filósofo, alguma vez estiveste plenamente sozinho? não, nunca, por isso não podes dizer que a independência dos outros é algo mau. não sabes. ainda que ter um mundo de pessoas para nos apoiarem seja óptimo, um bom começo, nada impede que, de um dia para o outro, fiquemos sem absolutamente nada. sabes isso? não. eu sei. e sei que por muito mau que a solidão possa parecer, às vezes não basta ter mil pessoas, chegava uma, mas nem essa está, então a solidão é melhor do que qualquer tentativa para ver um sorriso alheio.
    já que tentar é como uma facada em cada passo.

    ResponderEliminar
  7. nunca estive completamente sozinho?
    eu passei anos completamente sozinho! passei muitos mesmo, e pensava que não te tinhas esquecido de tudo o que te contei, já que foste a primeira pessoa a quem contei essas coisas.
    Foi precisamente por ter passado pelas duas coisas que eu sei bem que é melhor depender dos outros, mesmo que às vezes nos desiludam.
    Já tu, nunca te abriste aos outros, não podes saber como é!
    de entre nós sou o único que já experimentei as duas coisas e, sinceramente, magoou mesmo teres-te esquecido assim de tudo o que te contei :(

    gosto de ti, tanto!

    ResponderEliminar
  8. não digas que gostas de mim se repreendes dessa forma tudo o que esqueci.

    ResponderEliminar
  9. achas que não gosto?

    repreendo o quê? :?

    ResponderEliminar
  10. podes ate ter razao. so acho que cair sozinha faz parte do crescimento.

    ResponderEliminar

deixa tu também letras soltas no caminho