quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

The first one

Quantas oportunidades desperdiçamos?
Quantas vezes não seguimos em frente porque nos preocupamos demais com quem está ao nosso lado?
E depois, quantas vezes nos arrependemos de não o ter feito?
Quantas vezes não fizemos já estas perguntas?
De pouco ou nada adiantou. O que perdemos dificilmente será recuperado.
Temos pena. Lamentamos o que deixámos para trás e não encontramos um sorriso no presente porque nele falta o que recusámos no passado.
E vivemos o agora, cruzando-nos com o antes a todo o momento, moendo o coração e a cabeça, desejando ter pronunciado o sim em prol do não.
Perdemos sorrisos. Desperdiçamos momentos. De que valeu afinal?
[talvez um texto egoísta. talvez não.]

6 comentários:

  1. eu chamo-lhe realista!
    adorei =)

    belo começo neste blogue (:

    ResponderEliminar
  2. era exactamente isto que eu precisava de ler!
    bem-vinda. x) *

    ResponderEliminar
  3. não acho que seja um texto egoista. eu gostei imenso, e concordo comtudo o que tu disseste :)

    ResponderEliminar
  4. deixe-me discordar! acho que há sempre uma segunda oportunidade quando queremos muito tê-la! é possível destruir e voltar a construir!

    ResponderEliminar

deixa tu também letras soltas no caminho