quarta-feira, 22 de setembro de 2010

não procuro o teu apoio nem anseio as tuas desculpas. deixa-me ir, que o sol já se pôs. larga-me agora, quem me vou deste caminho e mais nenhum se segue. rasgo-te o coração enquanto me arranhas o corpo, mas todos os planos se desvanecem. deixa-me cair, que a noite já chegou. 

10 comentários:

deixa tu também letras soltas no caminho